6 de dez de 2012

A HORA CERTA


 
Talvez a minha opinião não vá agradar alguns vascaínos, mas acho que a venda de Dedé seria ótimo negócio nesse momento. Cofres vazios, salários em atraso e dívidas exorbitantes impedem que o clube possa prosseguir. A saída do zagueiro não resolveria todos os problemas, mas já seria uma boa ajuda.
O jogador, em virtude das contusões que o cercaram nessa temporada, acabou rendendo bem menos do que podia. Dedé se valorizou durante os jogos e, principalmente em 2011 quando conquistou a Copa do Brasil e fez um Brasileiro irrepreensível.
Acontece que Dedé me passa a impressão que não conseguirá reeditar aquele ano. Vejo o zagueiro em uma linha descendente e sem vias de recuperação; pelo menos no Vasco. Uma negociação mais a frente poderá ser arriscada, a medida em que o futebol do jogador for se desvalorizando.
São coisas do mercado. Pode ser uma análise fria e calculista e que, certamente, soará estranha para o torcedor. Mas, no futebol as coisas são muito rápidas e o próprio cruzmaltino é testemunha disso: a torcida derrubou Cristóvão e depois se arrependeu... Por que com Dedé não poderá acontecer o mesmo? 

Nenhum comentário: