12 de set de 2012

UM DIA APÓS O OUTRO



Um dia após o outro. Este chavão, como tantos outros, explica muito sobre os fatos. Ele é expressão, acima de tudo, de superação, volta por cima ou alívio. Pode falar também sobre vingança, dar o troco ou revanche. Não é este o sentido desta vez.
No caso de Wagner, que no Fluminense gerou tanta desconfiança, a frase feita aponta para o sentido de recuperação. O meia conseguiu superar a fase ruim, que começou quando pisou nas Laranjeiras, a tal ponto de ser uma ausência importante para a partida contra a Portuguesa.
Wagner é hoje um jogador bem útil ao time tricolor. Voltou a atuar em velocidade, com bons passes e, ao passo que a confiança volta, consegue arriscar mais. Está longe de ser aquele meia que deixou o cruzeiro. Por outro lado, está sendo bem mais do que dele poderia se esperar nesse momento.
O desfalque de Wagner é tão sério para o Flu, que Abel optou por escalar Diguinho em seu lugar: um jogador que tem características defensivas e que promete não expôr a defesa tricolor. Isso porque, para vaga de Wagner não há quem possa atuar. A não ser quando Deco voltar.

Nenhum comentário: