13 de jan de 2013

FIRME NO PROPÓSITO

A política de austeridade da diretoria do Flamengo, a qual considero acertada, chegou ao seu ponto mais extremo: a saída de Vágner Love. Ciente de que não conseguiria honrar com as dívidas deixadas(pela antiga gestão) com o CSKA, o comando rubronegro optou por abrir mão do atacante.
Esta foi, como todas as medidas austeras, uma decisão impopular. Dificilmente a torcida irá aprovar tal atitude. Vágner Love, apesar do rendimento irregular na temporada passada, tem uma relação de amor com o rubronegro. Sua saída é tomada como uma espécie de golpe de traição da diretoria.
Para compreender melhor as motivações do ato é preciso que se olhe para frente. O futuro da instituição, e não só do futebol do Flamengo, está muito comprometido. Foram anos de gestões despreocupadas com o profissionalismo e que agora resultam em asfixia financeira.
Se não fosse uma empresa que lidasse com futebol, um esporte tão rentável, o Flamengo já teria decretado falência. Para sair de situações como essa é preciso frieza e calculismo. A saída de Vágner Love é uma demonstração clara dos objetivos da gestão do Flamengo.


Nenhum comentário: