30 de abr de 2014

CRISE DE ANSIEDADE

As declarações de Walter ainda repercutem. Houve um tom claro de insatisfação, embora seja negada, em discurso ensaiado, pelos companheiros de clube e dirigentes. As palavras do atacante ao deixar o campo do Pacaembu não deixam dúvida: Walter se sente insatisfeito com sua condição de reserva.
É preciso, no entanto, entender o que se passa na cabeça do jogador. A história de Walter fez dele um homem direto. Não há meias palavras, meias desculpas ou meias oportunidades. Walter sabe que com a vida não se pode vacilar. Tudo o que sai de sua boca vem em estado bruto. Não há polimento em suas declarações.
Além disso, Walter batalhou muito para reduzir seu peso e continua trabalhando para não fugir da marca atingida. Desde que chegou às Laranjeiras, em Janeiro, o atacante perdeu 14 quilos. Como não joga os 90 minutos porque é reserva, o jogador treina dobrado para se manter no peso. É uma carga forte, tanto para o corpo quanto para a mente. É compreensível, portanto, o seu desabafo ao fim do jogo. 
O cenário não é dos mais animadores para Walter, contudo. Cristóvão Borges achou um time para o Fluminense e nele não há lugar para o jogador. Walter não é quarto homem de meio de campo e, tampouco, segundo atacante. Ele é homem de área e, consequentemente, reserva de Fred. Só vai jogar na vaga do atacante da seleção. Será preciso muita atenção com Walter e sua impaciência. Nesse momento, o jogador parece viver uma crise de ansiedade.

Nenhum comentário: