9 de dez de 2015

EURICADA

Eurico Miranda, em mais uma de suas "euricadas", resolve dissolver quase toda a comissão técnica e o departamento de futebol. Alega o controvertido dirigente que o trabalho "não deu certo".
Apenas Jorginho, Zinho, Alex Evangelista e Joelton Urtiga permanecerão. Do departamento de futebol saem: Paulo Angioni e José Luís Moreira. Isaías Tinoco está de volta e terá ao seu lado o filho do mandatário, Euriquinho.
Está certo que Jorginho tem muito mérito no trabalho que fez. Apesar do rebaixamento, foi quase perfeita a campanha sob seu comando. Entretanto, o treinador não fez nada sozinho. Havia ali uma comissão técnica que tem considerável parcela na recuperação do Vasco.
Eurico não leva em consideração que o time foi campeão estadual com boa parte dessa comissão. Ele apela para a saída mais óbvia. Usa a arma de todo dirigente da velha guarda: medidas extremas para ofuscar o real problema.
Subiu à cabeça do dirigente um delírio de poder absoluto, logo após a conquista do Carioca. "O respeito voltou" foi o brado da loucura de Eurico. Repetia a frase sempre que precisava demonstrar poder, um poder que já não há mais.
Sua insanidade o fez acreditar na ilusão que tinha um elenco de respeito. E não tinha. Falta ao Vasco muita coisa. Mas, acima de tudo, falta uma visão mais moderna de gestão esportiva. Os velhos feudos do futebol estão caindo. Os coronéis estão se desfazendo como papel molhado. O respeito ao Vasco ainda há de voltar.

Nenhum comentário: